EXCLUSIVO: NORDESTINOS RECEBEM TEMER COM VAIAS E FRASES "FORA TEMER" DURANTE A VISITA DO PRESIDENTE A TRANSPOSIÇÃO


O presidente Michel Temer e sua comitiva veio a Sertânia, buscou registro na nossa história, na história do nosso município, até conseguiu, mas pela vontade do povo sertanejo, a história oficial poderia ser contada de outra forma.


O que se viu de perto foi um presidente que aqui chegou sem nenhuma intimidade com o povo sertanejo, 



criado sob o clima da velha política do café com leite, na famosa política dos governadores, um presidente que com alta rejeição entre os nordestinos, sobretudo, entre os sertanienses, chegou e passou, foi para o Estado da Paraíba, todavia, tanto aqui em Sertânia quanto em Monteiro, passou o vexame de assistir as manifestações, e naquele Estado vizinho discursou e disse o que seria óbvio dizer, ou seja, não queria ser o pai da criança, não queria ser o pai da Transposição, acertou, só errou quando disse que ninguém seria o pai, o pai, o próprio povo já fez o DNA, é o ex-presidente Lula. E disso ninguém tem dúvida: a obra é cara dele!


Prefeitos da região, inclusive o de Sertânia, foram ao evento, registraram, tal qual papagaio de pirata, a presença. Ignoraram que a obra, sob o grito do povo nasceu e se concretizou sob a égide de um presidente que nasceu longe das regalias das oligarquias, das  aristocracias rurais e das heranças políticas, onde cargos públicos são passados de pai para filho com o "aval" do próprio povo, muito vezes pelo poder econômico.



Enfim o que se viu com a chegada de Temer foi um presidente inseguro e sem rumo, refém da atual situação, onde tem que se render a políticos fisiologistas e nesse cenário temos apenas um fantoche. O Brasil, o nordeste merece viver uma outra realidade.
Bom, mas o momento é de festa, é de alegria. As águas do "Velho Chico", chegaram a Sertânia, chegaram em Monteiro, é o que vale. O resto, ah, o resto são detalhes, que um dia serão contados pela história.
Viva as águas da transposição!! Viva o Futuro que se faz hoje!
texto Do tribuna do moxotó













Tecnologia do Blogger.